Atelier de confeitaria

O caramelo, o chocolate e os pedaços de bolacha que adornam os pequenos bolos acabados de fazer são colocados com o cuidado de quem procura uma estética perfeita. Segue-se a foto, num enquadramento igualmente cuidado, e o upload para as redes sociais. No fundo, esta é a essência do Chá das Cinco, um blog transformado num espaço físico que podia perfeitamente ser um atelier de paladares. É aqui que a Sofia e o Hugo experimentam e exploram as suas paixões.

Por uma daquelas ironias que apenas o destino consegue criar, o blog que fala de doces começou de forma particularmente amarga. À boleia da cura de um linfoma apareceu o blog onde a Sofia explora uma paixão recente. Destino traçado pelo design gráfico mas que acabou desviado em Itália para a cozinha. O blog, que ainda existe, partilhou ao longo dos últimos anos receitas e testemunhos das experiências que a Sofia foi fazendo em casa.

De recorte elegante, estética minimalista e de sabor eclético, os bolos começaram lentamente a exigir um espaço só seu. É por esta altura que o acaso interfere novamente, e a Sofia encontra o Hugo. Um personagem de detalhes, de pormenores, de milímetros e segundos, que fazia a vida em frente a uma mesa de edição de vídeo. De forma quase contraditória, o homem dos detalhes é também um homem que faz acontecer e portanto, a pessoa certa no momento certo.

Por entre projetos e obras, o homem que faz acontecer troca o vídeo pelo café e, como não podia deixar de ser, explora, à grama, ao grau, ao bar e ao grão, a bebida quente de todos os dias tornando-se barista. É por isso que no Chá das Cinco o café é tratado com a minúcia e o detalhe de quem aprecia a essência dos pormenores.

Apesar da presença dos bolos acabados de fazer na vitrine, do aroma a café que perdura no espaço e da selectiva lista de chás e infusões, o Chá das Cinco não é apenas uma confeitaria ou uma cafetaria. É um atelier, onde podemos provar e experimentar os bolos que acabamos de ver fazer ou discutir com o especialista sobre a nossa bebida. É um espaço onde simplesmente podemos estar, ver e conversar com quem faz tal e qual como se estivéssemos na cozinha de alguém que conhecemos de longa data – sem pressas.